• Sei
  • Horário Funcionamento Protocolo
  • Rh Bahia
  • Rh Bahia

CEE/BA

30/03/2019 17:03

Nota de pesar - falecimento da ex-conselheira Iracy Silva Picanço

O Conselho Estadual de Educação da Bahia expressa grande pesar pelo falecimento da ex-conselheira, professora Iracy Silva Picanço, aos 80 anos de idade (17.02.1939 a 30.03.2019), que exerceu dois mandatos consecutivos como conselheira titular, tendo também atuado nesse período como presidente da Câmara de Educação  Profissional.

Ao longo de sua vida dedicada à causa da educação, a professora Iracy Picanço iniciou na docência com apenas 12 anos de idade, uma adolescente alfabetizadora, que abriu o mundo do saber para duas crianças de 5 e 6 anos, filhos de uma vendedora de bananas “no cesto”, da Rua Pero Vaz, no bairro da Liberdade. A partir de então, se fez professora leiga e passou a lecionar em uma instituição filantrópica, neste mesmo bairro. Seguindo seu firme propósito de dedicação à educação, fez o Curso Normal. Tornando-se professora primária, ingressou na Universidade Federal da Bahia (Ufba) onde fez graduação em Pedagogia e mestrado em Educação. Foi Professora titular aposentada da Faculdade de Educação (Faced) e professora emérita da Ufba desde 2011.

Inscreveu sua trajetória na história da educação baiana, quando perguntou para si mesma, logo no início de sua carreira docente: “o que eu devia fazer como ser social, para uma sociedade mais justa e para uma escola melhor, para os meninos tão pobres?” A partir das inquietações e dos questionamentos da então jovem professora, veio um intenso engajamento político e social nos movimentos por mudanças na sociedade e na educação. Sua vida se traduziu em uma intensa militância pela educação, pela emancipação humana, por um mundo melhor para todos. 

Merece destaque seu engajamento nos movimentos pela alfabetização no estado da Bahia. Juntamente com um grupo da Faculdade de filosofia da UFBA, por sugestão do professor Nelson Pires, desenvolveu um projeto para alfabetizar os funcionários de serviços gerais do Hospital das Clínicas. Todos foram alfabetizados. A partir de sua militância na UNE, iniciou-se no movimento de cultura popular pelo Centro Popular de Cultura (CPC), mais diretamente atuou no “braço da educação” do CPC, nos projetos de alfabetização. O processo foi desencadeado em Feira de Santana e iniciaria em Salvador quando foi interrompido pela Ditadura Militar.

Iracy Picanço sintetizou sua trajetória histórica em uma emocionada fala na 12ª Oitiva, à Comissão Milton Santos de Memória e Verdade da UFBA, 2014 (Assista Aqui),  transmitida pela TV UFBA. Ela disse que dedicou sua vida à educação e que este é o “legado que deixo para os filhos, netos, crianças e jovens do Brasil.”

O Conselho Estadual de Educação da Bahia, neste momento de perda e dor, considera necessário registrar seu reconhecimento pela inestimável contribuição da Professora Iracy Silva Picanço como conselheira deste CEE/BA, a qual, certamente, por sua vida dedicada à docência, à luta nos movimentos políticos educacionais e pela democracia, deixou um importante legado para a educação baiana.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.